segunda-feira, 23 de abril de 2012

Far enough to make you miss me

É mais fácil fugir.
É mais fácil fugir, é mais fácil fazer silêncio. E tudo o que se precisa depois disso é aprender a domar a consciência. Se desligar.
O que se precisa é achar outros lugares para se esconder da chuva, é não esperar sempre pela calmaria quando só se enxerga tempestade. Quando a tempestade vem, deveríamos dançar em silêncio na chuva. Subir em barcos de papel e balançar junto com a correnteza. Porque é mais fácil fugir.
Se escolha eu tivesse, escolheria poder escolher, e eu escolheria o silêncio. Mas somos barulho, somos gargalhada, somos braços erguidos, somos o grito involuntário. Somos pura emoção, mesmo os que não sentem. Só fingem não sentir. E fingem, olhem só, pelo simples fato de que fugir é mais fácil.
E não fogem só os tristes. Os alegres fogem porque já não precisam voltar. Por isso é difícil voltar, por isso tenho voltado aos poucos, por isso tento fazer com que não seja volta, mas seja permanência. Talvez porque lugar seguro não seja mais. E sigo alegre a cantar, e sigo alegre a fugir, porque não posso evitar que seja mais fácil.
Mais fácil seria se mais fácil fosse.

2 comentários:

  1. Adorei!
    Uma grande verdade.
    Sds,
    Denir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Denir, que bom que gostou!
      Legal que você esteja vindo para minha cidade essas férias, espero mesmo que goste. Pena que é época de chuva, mas mesmo assim, aproveite.

      Excluir